Contacto: Renault Espace V

Contacto: Renault Espace V

Em 1984, quando surgiu a primeira gera√ß√£o do Renault Espace (embora originalmente fosse um projecto Matra), o carro foi uma revolu√ß√£o. Aventurar-se no caminho de uma arquitectura t√£o vanguardista teve os seus riscos, mas o sucesso foi tal que conquistou o mundo e toda a ind√ļstria seguiu as pegadas da Renault, tanto generalistas como especialistas. O Espace inventou realmente o segmento MPV.

Pare. Antes de me lapidar por ter esquecido a Dodge Caravan/Chrysler Voyager (lan√ßada em novembro de 1983), devo dizer que n√£o estou esquecendo aquela minivan. Embora a ger√™ncia de Matra tenha tido a id√©ia do Espace ao olhar para as vans americanas, a Voyager 1983 n√£o era mais do que uma van, ou seja, um micro√īnibus reduzido ao formato de um carro de passageiros. Mesmo em termos de design nunca foi realmente uma minivan, pois a capota era sempre muito pronunciada na sua silhueta, ao contr√°rio do Espace onde o p√°ra-brisas era uma extens√£o da capota.


Contacto: Renault Espace V

Mas sobretudo a Renault acrescentou √† proposta da Matra uma inova√ß√£o que coloca o Espace sob os holofotes da ind√ļstria. O Espace tinha uma cabine verdadeiramente modular que o tornava um espa√ßo acolhedor. Por exemplo, durante uma pausa na estrada, os bancos da frente giraram para tr√°s e o banco traseiro central pode ser transformado em uma mesa. Para qu√™? Para decidir o destino de um dos seus estaleiros navais com os seus parceiros. Ou para jogar um jogo de mus. O motivo foi um pouco irrelevante, dados os esfor√ßos necess√°rios para reorganizar a cabine do Espace. Quantos usu√°rios realmente fizeram uso dessas possibilidades? Quantos usu√°rios desistiram de usar o imenso volume interior do carro porque n√£o tinham onde colocar os assentos pesados (22 a 14 kg cada, dependendo da gera√ß√£o), que eram montados sobre trilhos uma vez removidos? Muito, segundo a pr√≥pria Renault. Acrescente a isso o facto de o segmento MPV na Europa estar em queda livre h√° j√° v√°rios anos, e tem a resposta para o porqu√™ de a Renault ter demorado tanto tempo a remodelar o Espace.


Desenho

Contacto: Renault Espace V

Vamos deixar claro desde j√°: o Renault Espace como o conhec√≠amos est√° morto. A quinta gera√ß√£o do Espace, revelada no 30¬ļ anivers√°rio do Espace, desmente quase completamente o legado das quatro gera√ß√Ķes anteriores e pretende reinventar-se. Esta mudan√ßa radical de direc√ß√£o √© imediatamente vis√≠vel no design do carro. O Espace diz adeus ao corpo MPV e junta-se √† tend√™ncia do cruzamento, seguindo os passos do Captur e do Kadjar.

A silhueta torna-se mais musculosa e a parte frontal ganha força.

A silhueta torna-se mais musculosa, especialmente na parte traseira em volta das luzes traseiras, enquanto o capot do carro tem agora a forma de um capot. O front end ganha uma forte presen√ßa com far√≥is LED completos e uma grelha presidida, como sempre, por um enorme diamante. As rodas t√™m agora um di√Ęmetro imponente, 18 polegadas como padr√£o, e a dist√Ęncia ao solo √© agora de 16 cm (anteriormente 14 cm). √Č o suficiente para nos lembrar de um 4√ó4 sem ser realmente um, pois n√£o tem trac√ß√£o √†s quatro rodas. O resultado √© uma imagem imponente e de certa forma escultural. Algo que tamb√©m pode ser visto nas suas dimens√Ķes: 4,85 m de comprimento (o mesmo que um Grand Espace 4) por 1,89 m de largura e 1,68 m de altura. No final, Fran√ßois Lemoine (autor do design exterior sob a supervis√£o de Laurens Van Den Acker) conseguiu um carro com uma silhueta bastante din√Ęmica, apesar das dimens√Ķes do carro.


Interior

Contacto: Renault Espace V

√Č a bordo do Espace que as mudan√ßas s√£o ainda mais marcantes. Os engenheiros e designers da Renault criaram uma cabine radicalmente diferente da gera√ß√£o anterior. Logo de cara, o olho vai para aquela consola central flutuante e o seu ecr√£ t√°ctil de 8,9 polegadas (um dos maiores, se n√£o o maior de um modelo convencional) que aloja o novo sistema de infoentretenimento R-Link 2. O sistema apaga os inconvenientes do anterior: √© como uma t√°bua. √Č intuitivo de usar e a informa√ß√£o que fornece pode parecer enorme em alguns momentos. A partir da√≠ voc√™ controla, por exemplo, o clima, a m√ļsica, a navega√ß√£o, o modo de condu√ß√£o escolhido (o Multisense de que falamos abaixo) e at√© quais assentos voc√™ quer dobrar. A prop√≥sito, o hardware e software do R-Link 2 s√£o da LG, enquanto a navega√ß√£o √© gerida pela TomTom.

Contacto: Renault Espace V

A bordo, perde-se a modularidade, preserva-se a habitabilidade e ganha-se um tablier futurista.

O condutor tem √† sua frente uma instrumenta√ß√£o 100% digital, embora nos seus gr√°ficos pare√ßa anal√≥gica, e pela primeira vez no Espace um ecr√£ frontal. Esta √© uma pequena tela de metacrilato na qual todo tipo de informa√ß√£o pode ser projetada: velocidade, sinais de tr√Ęnsito que indicam a velocidade no trecho -lendo o sinal e n√£o pela posi√ß√£o GPS-, dist√Ęncia de seguran√ßa com o carro na frente e/ou navega√ß√£o.


O co-condutor, entretanto, tem v√°rios compartimentos de armazenamento dispon√≠veis: debaixo da consola central, nas portas e numa enorme gaveta tipo porta-luvas, que como voc√™ est√° muito perto dela quando a abre, vai dar-lhe nas pernas. A parte inferior do painel de instrumentos e das portas √© onde os pl√°sticos duros s√£o mais vis√≠veis. √Č uma pena porque os acabamentos t√™m progredido muito e at√© t√™m um certo toque premium nas √°reas superiores. Na maioria dos acabamentos voc√™ notar√° um pouco menos, mas no topo luxuoso da gama Initiale Paris, eles cantam um pouco.

Na retaguarda, as mudan√ßas em compara√ß√£o com o Espace anterior s√£o ainda mais evidentes. A dist√Ęncia entre eixos cresceu pouco em compara√ß√£o com a gera√ß√£o anterior (+ 2 cm) e permanece est√°vel a 2,88 m. Mesmo assim, os passageiros na segunda fila de bancos t√™m mais 4 cm de espa√ßo para as pernas √† altura dos joelhos: 308 mm de espa√ßo para as pernas. Os bancos da segunda fila ainda s√£o individuais e montados sobre trilhos para que cada um dos tr√™s passageiros possa avan√ßar ou recuar como desejar (12 cm de viagem), mas os encostos dos bancos n√£o est√£o reclin√°veis. No entanto, enquanto a terceira fila de bancos (opcional, de 743 euros a 991 euros, dependendo do acabamento) mant√©m os bancos individuais s√£o agora uma simples cadeira de emerg√™ncia ou de crian√ßa. Estes bancos est√£o escondidos debaixo da bagageira e uma vez abertos, o espa√ßo para as pernas √© muito limitado - tamb√©m o obriga a mover os bancos da segunda fila o mais para a frente poss√≠vel, caso contr√°rio n√£o h√° espa√ßo para as pernas - e o acesso √© muito desconfort√°vel. √Č um sistema semelhante ao de um MPV compacto.

Contacto: Renault Espace V

√Č verdade que o Espace j√° n√£o √© uma proposta interessante para fam√≠lias grandes. Em qualquer caso, a Renault deve ter pensado que, dada a taxa de natalidade na Europa, n√£o √© um mercado t√£o importante, especialmente se estas fam√≠lias t√™m o poder de compra para pagar um Espace. No final, a maioria dos utilizadores ganha um Espace com uma facilidade de utiliza√ß√£o significativa, especialmente no que diz respeito √† bota.

Contacto: Renault Espace V

Perde em altura, mas ganha muito em modularidade. Voc√™ n√£o precisa mais remover os assentos pesados (e encontrar um lugar para guard√°-los sem que fiquem sujos) se quiser uma bota maior. Basta premir um dos bot√Ķes de uma consola √† esquerda da bagageira, ou atrav√©s do R-Link do banco do condutor, para dobrar o encosto do(s) banco(s) que pretende individualmente ou todos de uma s√≥ vez. Desta forma, o espa√ßo de carga √© completamente plano. Mas para voltar a colocar os bancos no lugar, ter√° de o fazer √† maneira antiga: com as pr√≥prias m√£os. Em qualquer caso, o volume do boot permanece consistente: de 260 litros a 2.035 litros, dependendo da configura√ß√£o. Na configura√ß√£o de 5 lugares, o volume √© de 680 litros. Enquanto estes s√£o valores de volume honrados, na vers√£o de 7 lugares n√£o √© tanto assim. O carro mede tanto quanto um Grand Espace de 7 lugares, mas oferece apenas 260 litros nessa configura√ß√£o quando o Grand Espace oferecia 455 litros.

Motores

Contacto: Renault Espace V

A Renault oferece tr√™s motores para o novo Espace, dois diesel e um a gasolina. No diesel o alcance come√ßa com o dCi 130 (1,6 litros; 130 cv; 320 Nm e 4,4 l/100 km em m√©dia) associado a uma caixa manual de 6 velocidades. Vale a pena notar que neste caso a consola central perde o espa√ßo de armazenamento por baixo. O segundo diesel √© o dCi 160. Com um deslocamento de 1,6 litros, este motor de dupla turbina produz 160 cv e fornece 380 Nm para um consumo m√©dio de combust√≠vel de 4,6 l/100 km. Est√° acoplada a uma transmiss√£o autom√°tica de 6 velocidades. Por fim, a Renault prop√Ķe o motor a gasolina TCE200, o turbo de 1,6 litros do Clio RS (200 cv; 260 Nm e 6,2 l/100 km) combinado com uma caixa autom√°tica de 7 velocidades.

Neste contato estavam disponíveis apenas o dCi 160 com acabamento Intense (o mais alto abaixo do Initiale Paris) e o TCe 200 com acabamento Initiale Paris. Deve-se notar que em Espanha, o Paris Inicial só estará disponível com o motor dCi 160.

Atr√°s do volante

Contacto: Renault Espace V

Em geral, um veículo deste tamanho e tipo não é exactamente ágil na estrada, com uma excepção: o Ford S-Max. Agora o Ford já não está sozinho, pois o Renault Espace surpreendeu-me agradavelmente a este respeito. Foi-se o lento e pesado deslocamento do antigo Espace, cujo manuseio foi um pouco desajeitado, para não dizer digno de um veículo comercial. Obviamente, o novo Espace mantém um centro de gravidade algo elevado, o que tem consequências insuspeitas (como a queda num dos testes do EuroNCAP, embora obtenha 5 estrelas) e no seu comportamento. A Renault consegue apagar o efeito do centro de gravidade elevado graças a uma série de tecnologias.

O novo Espace √© 250 kg mais leve que o seu antecessor, no entanto o Espace 5 pesa 1.609 kg na sua vers√£o mais leve, gra√ßas ao uso de a√ßo trefilado a quente (mais leve e igualmente forte), ao uso de alum√≠nio para o capot e portas, Noryl (asas dianteiras) e pl√°stico termoformado (porta traseira). Mas acima de tudo, a utiliza√ß√£o da direc√ß√£o 4Control de quatro rodas herdada do Laguna e as suspens√Ķes adaptativas utilizadas no multi-sentido significam que se pode divertir um pouco atr√°s do volante do novo Espace.

Contacto: Renault Espace V

O multi-sentido da Renault √© a possibilidade de adoptar at√© 5 ajustes da parte mec√Ęnica de acordo com o nosso estado de esp√≠rito: Eco, Conforto, Neutro, Desportivo e um modo personaliz√°vel. O sistema influencia a resposta do motor ao acelerador, a mudan√ßa autom√°tica da caixa de velocidades, a assist√™ncia √† direc√ß√£o e o amortecimento da suspens√£o pilotada, tudo associado a uma varia√ß√£o da ilumina√ß√£o interior e dos instrumentos (s√©pia em Neutro, Vermelho no Desporto, etc.).

O modo Eco é para poupar combustível, mas é terrivelmente aborrecido e lento. O modo Conforto e Neutro (este é o modo padrão) oferece um excelente conforto em troca de um rolo de corpo perceptível. O Espace é desabrido nos cantos e não o encoraja a atacar. Mesmo assim, a suspensão ainda é um pouco firme em superfícies ásperas, o que causa um pequeno ressalto. No modo Conforto, a assistência à direcção é flagrantemente excessiva.

Contacto: Renault Espace V

Sem atingir o nível de um Ford S-Max, o Espace é ágil na estrada.

No final, eu gostei mais do cen√°rio desportivo. (Isso √© de se esperar). A assist√™ncia √† direc√ß√£o √© o que eu considero ideal: nem demasiado dura nem demasiado mole. Seja qual for o modo, ele n√£o transmite nada. As suspens√Ķes oferecem um excelente controlo dos movimentos da carro√ßaria que, juntamente com o 4Control, transformam este pesado e enorme carro√ßaria num ve√≠culo muito √°gil. O Espace 5 vai para os cantos sem um toque de lentid√£o e com uma resposta de direc√ß√£o directa. Obviamente, ret√©m um leve toque de subviragem, tranquilizador para a maioria dos condutores, o que faz com que a traject√≥ria tenha tend√™ncia a alongar-se um pouco mais. Achei o sistema de aviso de sa√≠da da pista do Espace muito eficaz: ele simula acusticamente que voc√™ est√° pisando em linhas brancas √°speras. Por outras palavras, √© a forma mais natural de nos avisar (sem bipes, pequenas luzes ou massagens de vibra√ß√£o ao estilo Citro√ęn no banco). Dinamicamente, n√£o √© t√£o alerta ou directo como o Ford S-Max, mas comporta-se muito melhor do que a maioria dos MPV no mercado. Mesmo assim, ter√≠amos de testar um Espace dCi 130 com suspens√£o "anal√≥gica".

Contacto: Renault Espace V

Em N√ģmes, consegui testar tanto o dCi 160 como o TCe200, ambos com transmiss√£o autom√°tica. O gas√≥leo, gra√ßas aos 380 Nm dispon√≠veis a partir de 1.750 rpm, est√° muito dispon√≠vel. No modo Sport, o motor fez uma boa marcha e as acelera√ß√Ķes foram francas. √Č verdade que neste modo a caixa de velocidades mant√©m as mudan√ßas at√© depois das 4.000 rpm, mas √© mais para o colocar numa situa√ß√£o do que por necessidade, mudando a 3.000-3.500 rpm o resultado √© o mesmo. Tamb√©m deve ser dito que no Espace, o EDC √© um pouco lento, mas o seu funcionamento √© muito suave. De qualquer forma, voc√™ sempre pode se deslocar empurrando o bot√£o el√©trico de mudan√ßa. No entanto, eu recomendo que voc√™ pratique sem tr√°fego antes. Como o bot√£o √© el√©ctrico (n√£o h√° liga√ß√£o mec√Ęnica √† caixa de velocidades), n√£o tem tacto. Consequ√™ncia: numa ocasi√£o baixei 3 mudan√ßas ao mesmo tempo em vez de uma e noutra estava em ponto morto numa subida e com um cami√£o a aproximar-se √† dist√Ęncia... O meu co-condutor n√£o vacilou, passei alguns segundos de ang√ļstia. A moral da hist√≥ria? Deixe a caixa de velocidades trabalhar, n√£o toque nela e mantenha o p√© no acelerador com um pontap√© para baixo.

O TCe200 é ainda mais refinado acusticamente que o diesel (em ambos os casos, o Espace é um carro silencioso), e apesar do seu binário máximo mais elevado, é também um motor mais nervoso e oferece um desempenho ligeiramente melhor (0-60mph em 8,6s para o TCe 200 e 9,6s para o dCi 160).

itens relacionados


https://www.pistonudos.com/pt/abrindo-o-porta-malas-com-bateria-descarregada-os-truques-e-solucoes-mais-eficazes|Abrindo o porta-malas com bateria descarregada: os truques e solu√ß√Ķes mais eficazes

Adicione um coment√°rio do Contacto: Renault Espace V
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.