pistonudos.com

Como homologar acessórios no ITV

No caso da comunidade de Madrid, durante alguns anos, o sector está liberalizado. Isto significa que qualquer pessoa ou empresa que satisfaça os requisitos para criar um ITV pode fazê-lo e definir o preço que deseja (inferior ao preço recomendado). Para além de tudo isto, a filosofia da ITV deve ser a de ajudar. Ajudar a identificar falhas existentes no veículo (aquelas tipificadas no Manual de Inspecção) e informar o utilizador sobre as mesmas, para que este compreenda a sua importância e possa procurar uma solução.


Para começar esta série vamos falar de homologações, mas para entender o que vem a seguir é necessário explicar um conceito que muito poucas pessoas conhecem, a senha de homologação do veículo.

A senha de homologação indica o nome de um documento chamado "Ficha Reducida" por meio do qual uma marca homologa um veículo específico. Esta senha pode assumir muitas formas, dependendo do tipo de veículo. A forma mais comum pode ser: e1*2001/116*0501*01, onde 2001/116 se refere à Directiva 2001/116/CE, embora existam muitas directivas que são actualizadas ao longo do tempo. No Arquivo Reduzido do veículo você pode consultar todas as suas características (pneus, referência de escape, medidas, massas autorizadas, etc.) dependendo do tipo, variante e versão do veículo. Em outras palavras, foi assim que o veículo deixou a fábrica.

Passando à homologação na ITV é comum que, ao comprar um carro, nos seja oferecido na concessionária um conjunto de acessórios que o tornam mais atractivo. Para entender um pouco do que estamos a falar, estes são dois exemplos:

Dacia Duster

Dacia não é conhecida por ter um carro muito equipado, no entanto, eles têm muitas opções em acessórios, tais como um pára-choques cromado ou apoios para os pés. Não negaremos que um veículo assim ganha muito com alguns acessórios bem escolhidos.


Opel Corsa

A gama média tem acessórios disponíveis, tais como a adição de pára-choques, peitoris e spoilers que o tornam um carro mais desportivo esteticamente, mas com um motor mais acessível no dia-a-dia.

Estes dois veículos não saem das suas respectivas fábricas, pelo que tudo o que é montado na concessionária é necessário para o homologar. Por outro lado, há carros que vêm com acessórios de fábrica. A questão então é: Como posso saber se o meu carro tem tudo homologado? A resposta é: Olhando para a ficha de dados técnicos.

Se vem da fábrica com os acessórios, é a fábrica que, ao fazer a ficha técnica, inclui estes acessórios.

Claro que as versões desportivas de alguns automóveis, por exemplo (Renault RS, Ford RS e ST, Opel OPC, Subaru STI, etc.) deixam a fábrica em condições diferentes para as versões mais normais (pára-choques diferentes, spoilers, etc.) embora também tenham um catálogo com outros acessórios diferentes, tais como spoilers e kits de carroçaria que teriam de ser homologados.

Se não vier da origem, é o revendedor, ou o utilizador final, que deve dirigir-se ao ITV para o homologar.

Os passos para a homologação dos acessórios originais são simples.

  1. Peça um Relatório de Conformidade da marca do veículo. É assinado digitalmente pelo responsável pela homologação da marca e mostra o código de reforma que se aplica e os campos da ficha técnica que devem variar (largura total, altura total, etc.). Todos ou quase todos os acessórios originais estão dentro da homologação do veículo e, portanto, não será necessário realizar um Projeto Técnico*.
  2. Certificado de Oficina que certifica a instalação dos acessórios. Deve ser o documento original, com a assinatura e carimbo da pessoa responsável pela oficina. Embora nós próprios, se tivermos os conhecimentos e meios adequados, tenhamos instalado os acessórios, trata-se de uma oficina com um número de Registo Industrial (autorização da Direcção Geral da Indústria para realizar a actividade) e um número de Registo Especial (cada reforma necessitará de uma especialidade como a Mecânica, Carroçaria e Pintura, Electricidade, etc.) que deverá emitir o Certificado. As peças devem ser acompanhadas de um desenho de montagem onde as peças são identificadas e como são montadas, para que possam ser verificadas no ITV (MOT).
  3. Vá ao ITV com o veículo, a ficha técnica, o certificado de matrícula, o Relatório de Conformidade e o Certificado de Oficina. Para a legalização das reformas na ITV tem de ir o proprietário do veículo ou uma pessoa autorizada por ele.
  4. Na ITV os acessórios serão anotados na ficha de dados técnicos.

Extra: Uma vez aprovados os acessórios, o veículo deve ser apresentado no ITV para inspecções periódicas, tal como aparece na ficha técnica, ou seja, com os acessórios que foram legalizados.


Se quisermos devolver o carro como estava, também teremos de ir à ITV. Desta vez só será necessário um Certificado de Oficina que endosse o desmantelamento dos elementos em questão.

Espero que este artigo ajude aqueles que compraram um carro com acessórios nos últimos meses e terão de passar o primeiro ITV para o seu veículo, para que não encontre uma surpresa sob a forma de "desfavorável" no seu ficheiro.

(*) Projeto Técnico: Documento para a homologação de certas Grandes Reformas, como a instalação de acessórios fora da homologação do veículo, separadores/espartilhos, molas esportivas, etc.

Adicione um comentário a partir de Como homologar acessórios no ITV
Comentário enviado com sucesso! Vamos revisá-lo nas próximas horas.