Volkswagen Up! GTI, uma realidade até o final de 2017

Para o bebé da gama não haverá apenas uma versão eléctrica melhorada, mas também uma GTI. A potência e os dados técnicos são desconhecidos, mas é bastante razoável pensar numa TSI 1.0 apertada a pelo menos 110 hp. Dado que já utiliza motores de um litro e três cilindros, é o mais fácil de calçar na baía, embora também faça um pouco de sentido utilizar o 1.4 TSI ou o novo 1.5 TSI EVO. Atirando alto, pode ter até 150 cv.


No segmento A os modelos mais potentes disponíveis são o Abarth 595 e o Opel Adam S. Testamos este último há alguns meses e é o carro mais barato com 150 cv no nosso mercado, o equivalente ao Abarth é o 595 1.4 T-Jet (nem Turismo, nem Competizione, nem Pista). Em um passo abaixo temos o Fiat 500S, o smart BRABUS e o Renault Twingo GT. Como pode ver, é um pequeno segmento também em volume.

A pequena plataforma da Volkswagen pode certamente suportar 150 cv sem qualquer problema. Após a última remodelação, o Up! está disponível com dois motores de aspiração natural 1.0 MPI (60 e 75 cv) e o 1.0 TSI (90 cv). Em todos os casos, a caixa de velocidades é de cinco velocidades, também na versão automática. A vida útil da utilidade pode ser estendida até quase 2020, seu sucessor, que existirá, já pode receber o MQB em sua versão mais curta.

Terminamos com um flashback, a ideia não é nova. O pré-predecessor do Up! foi o Lupo, que em 2000 recebeu uma versão de rua de alta performance após o lançamento de uma versão de um copo de uma só vez. O Lupo GTI tinha um motor de 1.6 16v que produzia 125 cv, um bom número para a época e considerando que os turbos não estavam tão na moda.


Em km77 descreveram-no como estável em curvas, mas duro na suspensão, com bom desempenho e uma caixa de seis velocidades -nova em 2001- muito eficaz. Por outro lado, era ruidoso, falhou nos detalhes de acabamento e os freios eram um pouco apertados em um uso exigente. Já tinha controle de estabilidade, o que não é comum no segmento A e muito menos há 17 anos. Obviamente a Up! GTI terá ESP, principalmente porque é obrigatória, e também se espera que tenha uma suspensão dura, uma imagem mais agressiva e um maior factor emocional.

Antes do final do ano poderá estar em produção, provavelmente será apresentado no Salão Automóvel de Frankfurt, o grande salão de automóveis, no início do Outono. Aposto que a Volkswagen vai apertar o 1.0 TSI em vez de usar um motor maior, o que o colocaria mais perto do Renault e mais inteligente do que Opel e Abarth. Por falar em preços, é mais provável que esteja alinhado no topo da linha, independentemente do motor em que é alimentado.


E quanto ao hipotético Citigo RS ou Mii FR? No momento, estas são possibilidades teóricas.



Adicione um comentário a partir de Volkswagen Up! GTI, uma realidade até o final de 2017
Comentário enviado com sucesso! Vamos revisá-lo nas próximas horas.